segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Poema Vago

Vagueei por entre vagas de vaguidão
Vaga-lume vagante, vagamundo.
Vagueza, vagarosa de vagabundo
Vagueando, espaço vago de um vagão

10 comentários:

Papoila disse...

de repente senti-me vaga.....

Beijinhos
BF

Bartolomeu disse...

hehehehehehe
Tb te senti vaga... uma vaga transbordante de presença!
Beijões drinha Poila!!!!

lenor disse...

Romanticamente distante.

Bartolomeu disse...

Mais distante do que os sentidos permitem...
Leozinha, Que satisfação ver-te!!!
Um beijo transatlântico
;)))

Fábula disse...

eu não gostei vagamente deste poema, adorei-o! ;)

Bartolomeu disse...

;)))))
Espero que te mantenhas em Fabulosa pose de adoração... Fabula
;))))

Sirk disse...

Também há aquele que diz:
"Indo eu p'lo mar adentro,
entre vagas e vagalhões,
imediatamente a água,
me chega até aos ... calções"

:D

Bartolomeu disse...

hehehehehe
Estás mesmo a falar de calções Sirk?

Sirk disse...

Claro. A água molha primeiro os ditos ou não?
A menos que frequentes aquelas prais, bem tu sabes...
:D

Sirk disse...

"prais" = "praias"
bah!

tssssssssss....tssssss...
:D