sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Ao Luar...

Dança-te o prateado luar nos meus braços
Alva... nua... terna... brilhante e solta
Riscam os astros nos céus os teus traços
Desenham teu corpo em nuvens envolta


Sonho-te inatingível arte, flutuante
Perfaço-me, matéria inconcluída
Alcanço-te num tempo já distante
Catedral só de beijos construída


Explodimos nossos beijos fermentados
Mordemos nossos lábios em desatino
Deixámos nossos corpos enterrados
Num passado, apressado de destino

6 comentários:

Moura ao Luar disse...

Ao luar tudo se torna mágico. Beijos

Bartolomeu disse...

Tudo mesmo Mourinha!!!
O encantamento está no luar, ou nos olhos que reflectem esse luar?
;)))
Bejokas!!

Papoila disse...

Te deixo uma "Catedral de beijos "...hummmmmm

Jinhos
BF

Bartolomeu disse...

Uiiii!!!
Vou já entrar nessa catedral e ajoelhar em prece... depressa...
Beijos Papoilinha linda!!!

lenor disse...

Sensual como o luar.

Bartolomeu disse...

Sensual quanto sensual pode ser o pensamento e os sentidos que o estimulam, estimulante Leo.
Beijos !!!