segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Vou lá fora ver o tempo...

Neste tempo, em que olhamos o tempo
Sem tempo para dar ao tempo
Pensamos, que bom seria se o tempo,
nos desse tempo, que não se gastasse com o tempo.

Mas o tempo foge-nos no tempo
E deixa-nos sempre sem tempo
Pois um dia, chegará o tempo
Em que nos sobrará o tempo

E, quando não nos faltar o tempo
E olharmos para trás no tempo
Vamos querer ganhar tempo
Vamos tentar enganar o tempo

Um dia que encontre o tempo
para deixar este tempo
Vou lembrar-me d'aquele tempo
Em que brincava com o tempo

12 comentários:

Catarina disse...

Então não é que o Bartolomeu anda todo inspirado?!
Inspiradíssimo!
Deve haver nova musa pela costa!

Bartolomeu disse...

Ajudava... seria um bom motivo inspirador, se houvesse...
;)))

lenor disse...

Este tempo não molha nem seca. Na verdade e apesar de tudo, entendo-me melhor com o que molha e seca.
*

Bartolomeu disse...

Apanhaste uma molha do tempo
Durante uma seca de tempo
Enquanto esperavas pelo tempo
Enquanto perdias teu tempo
;)))))))))))
Beijokas repletas de tempo Leozinha!!!

Rosa dos Ventos disse...

Umas vezes desapareces no tempo e não arranjas tempo para nos brindares com um post, outras é em três tempos que tu nos espantas com este "tempo"!
Mas afinal, tu estás sempre a tempo, Bartô!:-))

Abraço

Bartolomeu disse...

hehehehe
És muito querida Rosinha, pudesse eu e não abandonaria o teu tempo.
Nem que fosse so por um curto espaço de tempo.
;))))))))
Beijão dama D'Orense.

Popper disse...

Boas inspirações(não pulmonares). Abração, kamarada.

Bartolomeu disse...

As boas inspirações pulmonares são uma mais valia importantíssima, basta-nos a asfixia demokrátika, meu amigo Karl...
;))))

Sandra disse...

Já passei a fase do não sei o que fazer com o tempo que tenho (e queixava-me). Estou na fase do não tenho tempo no tempo (e queixo-me).
Não sei qual será a próxima mas tenho a certeza de que vou continuar a queixar-me.
Serei só eu?
:)

Bartolomeu disse...

De todas, a primeira parece-me a mais arreliante, minha amiga Sandra.
A segunda, para mim, é a melhor. Termos mais projectos do que tempo para os realizar, dá-nos um "endurance" que, chegando novamente a fase de ter mais tempo que projectos, nos pode levar a realizar aqueles que por falta de tempo deixámos ficar para trás.
;)

Trequita disse...

belo poema

Bartolomeu disse...

Obrigado Trequita!
Vou tentar encontrar tempo para escrever outro, talvez sobre o tema da falta de tempo...
;)))