quinta-feira, 13 de setembro de 2007

O meu cão... my dogue... mon chiano... mi pierrot... maina dogan.... :))))

Muita gente se interroga: Este Bartolomeu será tolo? Será um puto a passar-se por adulto? Será um toxico-dependente com os chip todos queimadinhos? Será um chico-esperto com a mania que é inteligente? Ou será um extra-terrestre com dificuldade de assimilação dos padrões terráqueos?
Seria ignóbil da minha parte esclarecer esta dúvida, até porque sou inteiramente defensor do princípio do livre arbítrio, pelo que me compete dar a todas as imaginações o espaço suficiente para que divaguem.
So vos vou deixar sinal de uma pequeníssima característica da minha personalidade: fui uma criança muito "viva", alegre e brincalhona (a criança), nas aulas era o bobo da corte, a asneira mais insólita que acontecesse não apresentava qualquer dificuldade em se conhecer o autor, era sempre o mesmo. Porém, embuído de uma qualidade (uma em duas, ou, duas numa) assumia sempre a autoria (por vezes até com um certo orgulho) e defendi sempre os mais fracos.
Posto isto, aqui vai um poeminha que ilustra esta faceta do Bartolomeu, que apesar de crescido se mantem infantil, mais do que Q.B.
Ah, convem esclarecer que o tema deste poema me foi inspirado pelos comentários com a minha mais recente amiga Sirk, autora de um blog muito bem disposto.

Chamo perdigueiro ao meu cão
porque fareja a perdiz
Que lhe chamaria então,
Se ele não tivesse nariz?

É inteligente o meu cão
Mesmo sem raciocinar
Só não entendo a razão
Porque só lhe falta falar

Diz-me o douto veterinário
Que não tem cordas vocais
Mas no meu imaginário
Falta-lhe isso e muito mais
Falta-lhe conhecer as vogais
:))))))))

As consoantes? Conhece!
Consoante a fome lhe aperta
Ladra assim que amanhece
E quando vê a porta aberta

O meu cão é mesmo esperto
Sai ao dono... já sabia
Havieis de o ver disperto
Quando lhe recito poesia


Estive para enviar este poema (poema?, já te dás ao luxo de poder chamar poema a isto?) ao poeta Manuel Alegre "Cão como nós", em homenagem ao seu livro, mas o homem não deve ter tempo para me ler, anda sempre ocupado a lutar contra a dentadura.
Hãnnn?
Ah... ditadura, pois, isso. desculpem, estáva distraído.

12 comentários:

Papoila disse...

que brincalhão que hoje está o meu BartÔ!!!
Brincando na e com a 1ª pessoa.

Gostei ...Tem um bom dia lindo

Beijos
BF

Bartolomeu disse...

Estás a monopolizar as atenções Papoilinha?
Como?
Ora, então não foste tu a 1ª pessoa?
:)))))

Rosa dos Ventos disse...

Um post que me fez rir!
Também eu no colégio de freiras onde estive interna do 1º ao 5º ano, como se dizia então, fazia mil tropelias. Assumia tudo o que fazia, estava muitas vezes de castigo (ficava sem recreio, por exemplo), mas também arcava com alguns desatinos das amigas, mas por opção.
Comigo as irmãzinhas já não estranhavam e assim a reputação de algumas ficava incólume...
Abraço

Bartolomeu disse...

Não podes imaginar quanto eu gostaria de ter sido interno num colégio de freiras, Rozinha.
Podes crer que comigo também tinham garantida a reputação inc ó lume.
Tinha feito a Doutoração e pós-graduação em ciências aplicadas da ora São.

Su disse...

pois eu sou assim..........marada........

jocas ..sempre menino rabino:)

Sirk disse...

Isso não é um cão é um diamante que precisa de ser polido.

LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL

Sirk disse...

Estou aqui com uma dúvida: qual é o perdigueiro?

Bartolomeu disse...

E que nunca percas essa tua adorável maradice Su...
:)))

Bartolomeu disse...

Bom Sirk, naquela foto, segundo a minha interpretação, ha pelo menos 2 perdigueiros, senão 3.
os dois da frente são seguramente pedigueiros, porque estão a perder, em relação ao de trás, não dá para ver mt bem. Conceda-se-lhe o benefício da dúvida.
:)))

Luisa Oliveira disse...

Quando conseguir parar de rir, faço um comentário decente!

Bartolomeu disse...

Já comentaste Luisinha. Aproveita a vontade e vai rindo, sempre, sem parar.
ahahahahah
´Tá quietinho perro, então? faz-se isso na perna do dono?
Taradjão!!!

Maria Eduarda Horta disse...

Pois eu acho que o Manuel Alegre ia gostar... põe a timidez de lado e envia-lho vais ver que tens uma bela surpresa.
Quanto ao resto, tudo o resto, poesia e comentadores, parece que aqui ninguém é de Marte!