quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Respondendo... (ou, pensando responder)





Pretendo responder com este vídeo aos comentários que as minhas amigas tão amávelmente quiseram deixar no post anterior.
Em muitos momentos da nossa vida, sentimo-nos uma ínfima partícula de algo que desconhecemos, mas que acreditamos fazer parte de uma imensa e transcendental obra. Sentimo-nos... muitas vezes perdidos num céu pintado, ora de cores brilhantes e quentes, ora de negros e frios cinzentos.
Faz parte dessa viagem a que não nos podemos furtar e que certamente nos conduz ao crescimento pessoal, o qual só se concretizará se tiver como componente mais forte, o amor. And... at last, but in the beginning, we will find Him. Será que este Ele que buscamos incessantemente é a complitude de nós mesmo?
Será que Ele, somos nós quando completos?
Será por isso que fomos concebidos à sua imágem e nos tornaremos Nele depois de completarmos o caminho?

12 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Será, Bartô?
Seja o que for, para O atingirmos muito temos que penar!

Abraço

Angela Maria disse...

Eu acredito que sim!
Mas também sinto que neste momento não vale a pena tentar compreender isso!
Vale a pena viver o momento PRESENTE como sendo uma prenda, como sendo o MELHOR!
E deixarmo-nos ir nas asas do Criador!

inespimentel disse...

Quando ultrapassamos a barreira do nosso corpo e nos diluimos em tudo o que o nosso olhar abarca, sobretudo quando estamos na natureza, um sentimento difuso de bem estar,eu diria mesmo de alegria, invade cada célula, cada pedaçinho de nós (mim)!Depressa se vai...mas deixa um sabor muito con- fortável, um sentimento de união...um amor sem objecto...
A última frase do teu post podia ter um ponto de exclamação!

lenor disse...

A mim, tanto me faz, dessde que estejas aí. Tás, não tás?
:)))

claras manhãs disse...

A Inês deu um bom exemplo do que podem ser as saudades de Casa.
Estou convencida que sim.
Mas há pessoas, que têm perfeitamente essa noção, quando chegam a um certo estadio na meditação.
Conheci uma assim
mas o que acredito é que está em nós e quando O perbermos, lá, quando O integrarmos, talvez já sejamos Ele

beijinho

tinta permanente disse...

Em qualquer lugar desse Caminho, seja qual for a luz que o ilumine, há uma coisa que sempre podemos ter como garantida: há mais para lá do que andamos.
(belos vídeos, estes!...)

abraço!

Bartolomeu disse...

Pensar, é algo que somos incapazes de fazer parar, Rosinha.
Ah, espera... escreveste penar... estou sempre desatento...
;)
Um beijo, doce Rosa

Bartolomeu disse...

Vale sempre a pena tudo Angela, é a minha opinião, afinal, tudo é o todo que nos compõe.
;)

Bartolomeu disse...

Quando ultrapassamos a barreira do nosso corpo, ou seja, abandonamos a nossa dimensão física e entramos na espiritual, é o momento essencialmente genuíno em que temos consciência absoluta do mundo, do mundo na sua expressão inteligente.
É importante que nos habituemos a frequentar essa sensação tão boa e tão enriquecedora.
Um beijo Inês.

Bartolomeu disse...

Tou xim, Leozinha... é pra min...
lolol
Por acaso desta vez já não estava aqui ha algum tempo, mas é obvio que as saudades de todos eram imensas.

Bartolomeu disse...

É verdade Minucha, sem conhecer a Inês, noto pelo sentido daquilo que escreve, ser uma pessoa com uma imensa vontade de se encontrar, de se conhecer e de viver uma vida plena, em perfeita harmonia com o mundo.
É um objectivo comum a muitos de nós, de um modo mais ou menos consciente, de uma forma mais ou menos presistente, esse estado grandioso de interacção que todos sabemos que é alcançável.
Boas viágens inter-pesoais!!!!
;))

Bartolomeu disse...

Grande verdade meu amigo tinta, ha sempre muito caminho para alem do horizonte... desde que o consigamos sonhar.
Um grande abraço!!