segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Peace Train

Continuando na linha do Gato (da Maria Árvore) e do Esteves (do Bartolomeu)...



Repararam no gesto de mão feito pelo Senhor Yusuf quando dedicou o seu Trem da Vida ao Senhor Mohamed, prémio Nóbel da Paz?
Pois foi, ele ergueu a mão direita, na direcção do Homem!
Hmm... Hmm...

Não sei se alguma vez se interrogaram acerca da origem do aperto de mão!?
Não?... Sim?...
Pois é, a coisa remonta ao tempo dos Egípcios. Tinha como finalidade demonstrar reciprocamente que nenhum dos dois empunhava uma arma, ou seja, que tinha as mãos limpas.
;)))
Consigo ouvir aqui os vossos pensamentos!
Estão as vossas mentes a cogitar... Bahh!!! nesse caso os canhotos podiam lixar os destros, até porque, os canhotos são por definição gajos mais hábeis no manuseamento de objectos.
Mas ha um outro aspecto a acrescentar... é que, uma ancestral revelação, diz que o membro direito corresponde ao amor e o esquerdo à força.
Bom, tudo isto seria irrelevante, ou menos relevante, se por coincidência não fosse o Egipto habitado por um povo subjugado que Moisés conduziu pelo deserto durante 40 anos até Canaã, ou seja, a Terra prometida por Deus, ou seja, a actual Israel.
Certamente já notaram que a bandeira Israelita é composta ao centro por uma estrela de 6 pontas, inscrita a azul, designada por Estrela de David, tal como o símbulo de emergência médica, é constituído por uma estrela, azul, tambem de 6 pontas, com um bordão e uma serpente inscritos ao centro, a branco.
Ou seja, a bandeira de Israel é composta por uma estrela azul de 6 pontas, inscrita sobre fundo branco, e o símbulo de emergência médica é composto por uma estrela azul, com um bordão e uma serpente enrolada ao mesmo, em branco.
Sendo que, o criador do símbulo de emergência médica, tenha sido Leo R. Schwartz, nascido na américa do norte, mas... Schwartz será um nome de origem judaica?!
Voltando à história do aperto de mão e do lado direito ser o da bondade e o esquerdo o da força, temos um outro aspecto a ter em conta... as linhas da mão. Se repararem as linhas inscritas na palma da mão da generalidade das pessoas, configura um M, algumas porem, raras, apresentam uma estrela, essas pertencem aos "escolhidos".
Voltando ao trem da paz...e, ou ao trem da vida..."something good is to comming, some day"
;)

11 comentários:

claras manhãs disse...

Bem, não faço parte dos 'escolhidos', isso é certo.
O que é engraçado é saber-se que de há quarenta anos se anunciam esses tempos.
Finalmente, penso, estam chegados.

Bartolomeu disse...

Não seremos todos escolhidos, Clarinha?!
Eu penso que sim e que a todos e a cada um, compete cumprir-se, quer individualmente, quer socialmente.
Dizia alguem muitíssimo mais inteligente que eu, o seguinte:
Para que as acções cheguem lá a cima, é necessário que comecem cá em baixo.
Vamos confirmar esta reflexão em todos os aspectos da nossa vida, sobretudo se nos considerarmos a cada um de nós, como se fôssemos um micro-cósmus.
Beijão Clarinha!!!

lenor disse...

Com os traços de um M não se faz uma estrela mas faz-se uma cruz. Com os traços de dois M, faz-se uma estrela de oito pontas, muito mais cintilante que uma de seis.
:)))

Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bartolomeu disse...

Tenho de "mastigar" muito bem o teu comentário, Leozinha.
Ai esta mulher, sempre tão desafiadora...
;))))

inespimentel disse...

Já ouvi muito e gostei muito do gato, já lá vai... depois o desencanto...
Nas minhas canhotices nunca me senti mais hábil, que os destros...a jogar ping pong cada mão tem a sua personalidade, uma mais previsível, certinha, a outra, que uso menos, capaz causar maior impacto, mas não parecem obedecer às mesmas ordens!

inespimentel disse...

Somos todos escolhidos e a revolução faz-se por dentro!!!
digo eu

maria_arvore disse...

Se os símbolos são feitos pelos homens julgo que têm de ser também os homens a construir o seu comboio da paz e a tornar-se os escolhidos, tal como fizeram os que primeiro seguiram Moisés. Não são os homens que constroem aquilo em que acreditam?... ;)

Bartolomeu disse...

Concordo em absoluto contigo Inês.
Todas as revoluções se iniciam dessa forma... desde que exista a convicção, haverá revolução.

Bartolomeu disse...

Aí Maria, seríamos levados a considerar outros aspectos de carácter... metafísico. O homem constroi, é verdade mas a faísca, a spark como dizem os outros, essa danadjinha tem de surgir de uma parte que se encontra num plano diferenciado da matéria.

Hilda disse...

Finalmente encontrei alguma alusão sobre o desenho de uma estrela na palma da mão.

Eu tenho o desnho perfeito de uma estrela de cinco pontas bem ao centro da minha mão esquerda e somente ha pouco tempo percebi, quer dizer, nem fui eu e sim um massagista especializado em massagem yuverdica(acho que é esse o nome). Foi com assombro que ele notou a estrela e me dise coisas espantosas e qualidades que disse eu ter... sei lá se tenho...

A estrela de cinco pontas, no início, era o símbolo de David, depois adotou-se a de seis pontas.

Bartolomeu, se vc tiver mais informações, pasa para mim, se tiver disponibilidade, claro.

Parabéns pelo seu blog