sexta-feira, 28 de novembro de 2008

E Tu... Quem És?

Sou a mistura de terras desconhecidas
De águas muitas, claras, mas bravias
De sóis escaldantes, de ventanias

Sou a grêta que se abre em terra estéril
Sou o verbo, sou, o desejo incumprido
A flôr que desponta ao sol primaveril
Sou, o bravo guerreiro já de lutas abolido

Sou filho de amores... e de sonhos grandiosos
Sou actor profano de peças reescritas
Percorri caminhos, galguei escarpas ardilosas
Bebi amores, vomitei cruas desditas

E... da terra à terra, retorno sempre esperançoso.
E tu... Quem és?

22 comentários:

lenor disse...

Bartolomeu, então? Tiras-me o retrato e depois perguntas quem eu sou? Assim não vale!

claras manhãs disse...

Acho que me vais obrigar, para te responder, a fazer um post, não sei quando.
Mas vou levar comigo, este teu. Tenho de o reler, mais não sei quantas vezes

beijinho

inespimentel disse...

Sou desilusão e esperança;
lágrimas de alegria, e de sofrimento também
medo e coragem,
um pequeno vazio onde habita o universo
o tudo... o nada...
um coração... enquanto ele bater;
uma expiração... uma inspiração;
um suspiro fundo, e prolongado!
... é isto que sou, fora o resto!

Fabulosa disse...

eu? eu só sei que nada sei...
ah, 'pera. não era essa a prógunta.
eu... bem, eu sou só uma leitora tua. =)

Mariz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bartolomeu disse...

Olá Leozinha, retrato-me por te ter tirado o retrato e só depois ter perguntado.
Espero ter aprendido a valorizar quem és!
;))))
Um grande beijo!!!

Bartolomeu disse...

Gostei imenso da tua "resposta" Minucha, que, tal como desejei ao colocar este post, não se dirigia a mim, mas sim a quem aceitou o desafio de a dar.
Um beijo amiga.

Bartolomeu disse...

Em suma Inês, és um universo de emoções e de sentimentos. Tenho uma excelente notícia para ti: Estás vivinha da Silva!!!
Posso colocar-te uma pergunta indiscreta?!
Estas a conseguir aproveitar em pleno essa vitalidade?
;)
Um beijo... ecológico!

Bartolomeu disse...

Ora Fabulosa Fábula... saber que tens pachorra para lêr aquilo que escrevo, constitui motivo de grande orgulho para mim. Mas não acredito que o compto dos teus conhecimentos se encontre tão limitado.
;))))))
Um grande beijo... perfumado!!
(beijo perfumado? onde é que fui desencantar esta ideia... secalhar...)

Bartolomeu disse...

Olá comentário excluído!
Tenho pena de não poder contar com a sua opinião.
Talvez o motivo dessa remoção tenha sido a tabela de preços para comentar. Sou um distraído, tenho-me esquecido de a actualizar, aquilo são preços antigos, do tempo em que a crise já se anunciava, mas ainda não se sentia.
Actualmente os preços do staminé baixaram significativamente, estou a utilizar os mesmos critérios do Banco Central Europeu, relativamente às taxas de juro para o crédito à habitação.
Estamos em saldo minha/meu amiga/amigo!!!
Jingle bells!!! Jingle bells!!!

inespimentel disse...

Bartolomeu, isto é uma luta diária, a ondulação é muito variada...
Viva sei que estou, mas longe de ter as rédeas na mão, adia-se o inadiável, vive-se com o trivial... o que considero realmente importante fica relegado para o fim de uma lista imensa de caquices que não me levam a lado nenhum, senão a manter a engrenagem a funcionar... o canto dos pássaros esse escapa-me , mais do que devia... fases...isto não é um lamento, antes um desabafo de quem vive ao sabor das emoções e dos sentimentos!

Bartolomeu disse...

Sabes Inês... ha um princípio interessante em que se apoia a busca pelo equilíbrio fisico e emocional. Consiste em identificar o desejo e enquadra-lo no universo de que fazemos parte.
É esta simbiose que mantem unidas as células e que faz gerar energia. Se este princípio não for respeitado, a nossa energia escoa-se dando lugar à fraqueza e à desmotivação. Para reequilibrar esta dinâmica ha que praticar exercício sim+ples de concentração e meditação, que convem anteceder de exercícios de respiração. Tudo coisas muito simples e acessíveis que, se executadas, nos conferem um bem-estar e uma predesposição muito desejável.
Os exercícios de respiração consistem em procurar um local confortável, de preferência ao ar livre e, tentando esvaziar a mente de qualquer pensamento, inspirar lentamente o ar, enchendo o peito e depois a zona abdominal, em seguida, expelir o ar tambem lentamente, começando pelo abdomen e em seguida o peito. Este exercício, não precisa inicialmente de mais de 10 minutos de prática, o suficiente para se sentir efeitos a nivel da disposição e do humor.
;)

inespimentel disse...

Vou seguir esse ritual, já tenho andado por momentos bem perto destes que me sugeres...mas existe um lado negro, um peso, laços e compromissos que com o meu consentimento acabam por corta-me as asas!
Depois recupero, sintonizo, e volto a voar...a força de vontade anda de férias...mas sei o que realmente quero...brigada por lembrar... estou sempre a perder a viagem!

inespimentel disse...

Já agora Bartolomeu... o "desejo"? ... assim como uma abstracção?
Explica-me lá:
"Consiste em identificar o desejo e enquadra-lo no universo de que fazemos parte?"
É que percebo, a meu modo, mas gostava que me explicasses com as tuas palavras... satsang, não sei como se escreve, mas é este dom que têm as palavras que, quando elevadas e repetidas, nos vão formando o espírito e aproximando duma realidade menos física, menos racional!
Portanto e por favor, repete mas por outras palavras... quero entender!

Bartolomeu disse...

Inês, posso responder aqui, ou para o teu mail, se quiseres dar-mo a conhecer.

inespimentel disse...

Bartolomeu, dou-te o meu email e agradeço-te se me explicares como se eu fosse muito burra. Este tema é subjectivo e , por isso, atrai equivocos.
Peço-te que menciones em "assunto" o teu nome porque deito tudo o que não reconheço para o lixo... sem abrir!
inespimentel1@hotmail.com

Fabulosa disse...

não sei o que é isso da fábula... mas aceito o beijo perfumado que esse sei donde veio! ;)

Madalena disse...

Eu calo-me. Leio e gosto. :)

Se fosse a mim de responder diria - sou só filha da Terra e de ninguém.

Bartolomeu disse...

Essa, é uma decisão Fabulosa!!!
Ou uma Fabulosa decisão...
;)))

Bartolomeu disse...

Reflectindo um pouco no teu comentário, Madalena... realmente, a partir do momento em que nascemos, passamos a ser filhos de ninguem... talvez por isso, o destino toma conta de nós.
Olha, acho que em breve vou tentar escrever aqui uma reflexão acerca disso.
Ah! é uma honra gostares de ler o que escrevo.

Helena Paixão disse...

Sou... alguém que ainda não se definiu pois que a vida se encarrega de nos ir redefinindo ao longo dos anos... espero manter-me nesta indefinição por muito tempo, lol

Andei a cuscar o teu blogue e gostei do que vi, li e ouvi :)

Bartolomeu disse...

Olá Helena. Bem-vinda ao mundo dos que já perceberam a eterna dinâmica.
;)
Tambem já tinha "cuscado" o teu blog, "da bicharada" que é uma verdeira obra de arte.
;)