segunda-feira, 11 de abril de 2011

O Homem.

Diluem-se os tempos numa luz futura, que após outra, sucessão infinita de dias e de noites, de choros e alegrias, de conquistas e repousos, se reconstrói. Derrotas não existem, porque o Homem será eternamente guerreiro, à conquista de um reino imaginário, onde os sonhos e as mãos se confundem... e os passos, são eternamente leves.

10 comentários:

Olinda Melo disse...

Boa tarde, Semeador de ideias

A minha mente confessa-se perdida neste manancial de ideias. Quando um pensador deixa entrever os seus pensamentos ele fica, automaticamente, à mercê de pessoas como eu: interpreto-as a meu bel-prazer. :)
Delicia-me isso da luz futura que se reconstrói pois dá-me a ideia de que ainda teremos alguma esperança no meio da amálgama dos nossos próprios desaires. Mesmo que se trate de um mundo imaginário, qual D.Quixote de la Mancha, combatendo moinhos de vento. Pelo menos salvam-se os sonhos e, de uma forma etérea, encontraremos o nosso caminho.

Abraço

Olinda

Bartolomeu disse...

Estás então a dizer que a tua intrepretação mao ler o que escrevo, me torna teu refém, Olinda?
;)
Mas sim, fazendo jus à citação, estimular a troca de ideias, pensamentos e reflexões, sem qualquer tipo de directriz.
Pitágoras, acreditava na reencarnação, porque entendia que tuto se desenvolve em circulos que se interceptam noutros circulos e que portanto, tudo acabava por retornar ao ponto de início, em cíclos infinitos. Se assim for, existirá sempre uma luz futura, que poderá ser muito provávelmente, o rasto da mesma luz, quando por ali passou anteriormente.
Ou seja, mais ou menos, algo semelhante à inevitabilidade das descobertas, porque o descobridor sabe, sem saber, que aquilo que procura descobrir, está em algum lugar, à espera para ser descoberto.
;)

Catarina disse...

Vim visitar-te mas perante um texto com tanta profunidade e considerando o adiantado da hora (meia-noite) dou-te apenas um abraço e amanhã farei outro comentário embora tenha que ler o teu post uma série de vezes para o entender na sua plenitude! >... ; ))))

Bartolomeu disse...

Olá Catarina!
Sinto-me um afortunado, por ter o privilégio de ser visitado e lido, por pessoas que gostam de reflectir e manifestar os seus pensamentos.
;)

Olinda Melo disse...

Olá, Bartolomeu

Parafraseando Ovídio Martins no seu ‘O único Impossível’ diria: Mordaças a um poeta?//Loucura//E porque não//Fechar na mão uma estrela//O Universo num dedal?// Era mais fácil//Engolir o mar//Extinguir o brilho dos astros(…)
:)
Pois o nosso amigo Pitágoras, para além daquele famoso teorema dos triângulos, submetia tudo à lei numérica e com este conceito sobre os ciclos leva-nos de reencarnação em reencarnação até à expiação das nossas culpas. Com o elevado fim, é claro, da busca da verdade. Mas o que é a verdade? Conceito que nos levará não sei quantas vidas a descobrir se é que o descobriremos em alguma encarnação. O nosso prémio seria talvez aquela luz futura que, afinal não passará de um rasto de uma passagem anterior…

Abraço

Olinda

Bartolomeu disse...

Olá Olinda!
;)
A verdade... será um simples conceito? Uma utopia? Um ideal?
Pitágoras é um dos meus filósofos preferido. Deixou-nos uma reflexão, na forma de conselho "circular":Presume as ideias em jeito de hipótese, até obteres uma experiência irrefutável, mas sem te apegares a qualquer delas, movido pelo anseio da perfeição epela observação veraz, tanto do mundo como de ti mesmo. É esta procura a verdade, porque a verdade é perfeição, e procura a perfeição, porque esta é verdade.
Encontramos o mesmo conceito na frase alquímica "Visita Interiorem Terrae, Rectificandoque, Invenies Occultum Lapidem", que significa "Visita o teu interior, purificando-te, encontrás o teu eu oculto" ou seja; a tua alma.
O que será o mesmo que dizer; a verdade encerra-se dentro de cada um de nós, se a queremos conhecer, precisamos ir ao mais profundo do nosso ser, à nossa essência. O que não quer dizer, que a "minha" verdade seja inegávelmente igual à do outro... ou então, sim, se realmente formos todos juntos, um único.
;)

Papoila - BF disse...

Nessa guerra diária vamos gastando as nossas forças neste caminhar.

Um beijo

BF

Bartolomeu disse...

Temos sorte Papoilinha, porque possuímos um sistema que se auto-renova e nos proporciona, desde que alimentado, manter a força anímica em alta rotação!
;))))))
A kiss for you my dear!
;)

Catarina disse...

Ao reler o texto lembrei-me que o Português, guerreiro de outrora, de muitas batalhas ganhas e perdidas, foi grande... foi grande há muito, muito tempo... O eterno guerreiro, apenas nos seus sonhos, não chegará a lado nenhum de concreto, de palpável, que faça uma diferença abrangente na comunidade guerreira...

Bartolomeu disse...

Tens toda a razão, Catarina. Ninguem atinge vitórias isoladamente.