segunda-feira, 9 de abril de 2007

Marca Indelével

Ainda que o sol brilhe,
sinto que a chuva e o frio,
invadem o meu coração

Mesmo quando as nuvens
já tenham desaparecido.
Fica a mesma sensação

Ainda que me mostres
a vã razão para lutar,
já não tenho aquela força

Quando olho as minhas mãos
e penso em sobreviver,
sinto que o mundo é uma farsa

Mas mesmo assim os teus olhos,
mantêm-me a esperança acesa
para encontrar a paixão

E mesmo que digas que não,
são os teus lábios que falam
e nunca o teu coração.

8 comentários:

Claudia disse...

Ainda que...

...diz tudo.

Beijo

Bartolomeu disse...

Telepatia, né Claudia?
;)

maresia disse...

isto parece um "destrava-línguas"

psique disse...

que belo destrava linguas

Bartolomeu disse...

hehehe
e ha algo melhor que se poder falar sem freios na lingua?
como diz a maresia nas suas lições equestres... sem freio nem bridão, tipo... à redea solta.
hehehehehe

Bartolomeu disse...

Peço desculpa Maresia, confundi aquilo que li noutro post com o que li no teu.
De qualquer modo, o teu mérito de escrita, não foi trocado, juro.

Entre linhas... disse...

São as tais coincidências em que as palavras projectadas estão de acordo com a voz do coração.

Bom ínicio de semana

Bjs Zita

Bartolomeu disse...

Nem sempre é essa a regra Zita, por vezes, a palavra projectada está de acordo com as vivências, mas, lá no fundo, no fundinho reside a concordância do coração, sim.
Olha Zita, já visitei algumas vezes o teu blog "Espaço de Generalidades", sem ter comentado, porém, (deixo aqui convite a todos que me visitam, a visitarem-te também)não posso deixar de realçar a tua arte e sensibilidade para captar as imagens naturais e em algumas, no meu conceito, conseguires aumentar-lhes o interesse. Noto ainda que és fascinada pelo mar, pelo espaço e pelo conceito pleno de liberdade. Tivesses asas e ganharias o mundo, mesmo assim, através da tua lente mágica... não sei, não.
:)))
Um beijo Zita