terça-feira, 30 de outubro de 2012

Feios, Porcos... e Maus.

Pergunto aos senhores que discursam
No ecrã do meu receptor,
Se a eles também afectam,
Os males que nos causam dor.

Pergunto-lhes se os filhinhos,
Ao sair da universidade,
Também pedem pel'os cantinhos,
Em busca da felicidade.

Se esses pais tão conscientes,
E de medidas tão austeras,
Os tratam como negligentes,
Como àqueles que ficam à espera.

Ou se correm a metê-los
Na empresa de um amigo.
Dos que são todos desvêlos,
E só olham pr'o umbigo.

Pergunto àqueles trapaceiros
Eleitos para governar,
Se os seus fofos travesseiros
Lhes permitem repousar.


6 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Podes perguntar à vontade porque eles não respondem!
São uns cretinos que não sabem o que andam a fazer...ou então sabem muito bem e ainda é pior!

Abraço

Bartolomeu disse...

Rosinha, minha amiga,
Imaginando que têm dois olhos, parece-me que só vêm com um deles... aquele que vê os seus interesses, o outro... está cego.

JM Ferreira de Almeida disse...

Chapeau, meu caro Bartolomeu. Na melhor tradição da poesia feita flecha...

Bartolomeu disse...

Os tempos vão de feição, meu caro Dr. José Mário, e as paciências esgotam-se.

James Dillon disse...

Embora muitas vezes a eloquência me reduza a um silêncio de quem inveja o que lê e leio de novo em ritmo sôfrego, dado ao silêncio continuo a visitar, a sujar os tapetes desta tua casa,

cumprimentos,
JD

P.S.: Atribuí-lhe a simbologia de um prémio lá no meu pequeno canto.

Bartolomeu disse...

Olá James.
Tenho descurado a caixa dos comentários e a visita aos blogs que me dão gosto ler - enquanto escrevo estas linhas bato com a mão fechada no peito e repito três vezes o acto de contrição, mea culpa - acredito estar a converter-me ao eremitismo ou ao masoquismo... decisão que se mantem por tomar.
Agradeço a atribuição do símbolo - desemerecida, segundo a minha opinião - saber que alguem lê o que transcreve os nossos pensamentos e que ainda por cima aprecia, é o melhor "prémio" esperado.
;)
;)