domingo, 16 de outubro de 2011

Que N L P...!

Quando depois de saborear uma excepcional dobrada com feijão branco, confeccionada pelas mãos mágicas de uma jovem anciã, conhecedora de imensos segredos, quer culinários, como de gestão e de economia domésticas, Senhora que viveu os duros anos do final da segunda guerra mundial e aprendeu a magia de transformar o sobrante, no essencial...Olho melancólicamente para a nossa actualidade política e social e só me ocorre mandar os políticos que nos têm governado e aqueles que nos governam, de volta, à cona da mãe que os pariu.
Esta, é a única forma possível, que me ocorre, de imaginar uma maneira de reciclar toda esta bagunçada em que vivemos.

12 comentários:

Olinda Melo disse...

Pois é...ninguém diga que não avisaste. :))

A arte de transformar o sobrante em algo essencial está muito arredada dos usos de hoje em dia. Perdemos-lhe o jeito, mas nunca é tarde...

Um abraço meu amigo.

Olinda

Bartolomeu disse...

Muitas "artes" se perderam, minha Amiga Olinda, cuidando que se evoluía, que se alcançava um mundo moderno, de oportunidades iguais para todos. Mas afinal, aquilo que se conseguiu, foi somente, cavar mais funda a desigualde que nos desune.
:(

Catarina disse...

Bartolomeu... votaram neles, afinal! : )

Bartolomeu disse...

É uma verdade impossível de disfarçar, minha Amiga Catarina.
Isso foi algo que me intrigou bastante até ao dia em que por acaso passei numa feira e assisti a um fulano que vendia a conhecida banha da cobra.
Eu digo que vendia, porque efectivamente, muita gente comprava.

Cristina Torrão disse...

Estará a nossa civilização a soçobrar? E o que virá depois? Ainda estaremos vivos, nessa altura?

Bartolomeu disse...

A dar crédito às profecias, isto irá aguentar-se o mais tardar, até 21 de Dezembro do próximo ano, Cristina.
Daí em diante, dando crédito às profecias dos Maia,´uma nova ordem social surgirá.
Isto é vago, contudo promissor.
Pessoalmente, não me importo nada de me imolar, em nome do renascimento da espécie humana, mais consciente, mais fraterna e menos usurpadora.

Rosa dos Ventos disse...

Há que séculos, Bartô!
Tenho-te no Explorer e agora uso quase só o Chrome...:-((
Eu sou uma "expert" na arte de aproveitar sobras tal como essa jovem Senhora!
E não li tudo até ao fim!...

Abraço

cycle disse...

Podes começar com os politicos de freguesia para adubar o teu quintal

Bartolomeu disse...

Pois últimamaente, transformei-me num cromo, minh amiga Rosinha!
;)
Num cromo preguiçoso que tem descurado uma boa parte dos amigos bloguistas. Mas já estou a tomar umas pastilhas para corrigir.
;)
Eu sei que entre outras coisas, também és mestra do aproveitamento, ou seja, da requalificação. E essa mestria, minha amiga, vai ser da máxima utilidade nos tempos que virão!
Se não leste o post até ao fim, vais apanhar só meio castigo; o aviso era para não ler desde o princípio!
;)))))

Bartolomeu disse...

Cycle my good Friend! Oh God...
... isto a bem dizer... já nem sei por onde começar... pode ser que alguém saiba... a ver vamos.

cycle disse...

Peixe espada morto à estalada?
Barto, esplica-te!
Falas de política, certo?!
:)

Bartolomeu disse...

Errado, cycle!
Neste blog não se comenta política, religião, raça ou sexo(s).
O peixe-espada, dado a sua "geografia" quando me chega ao prato, deixa-me a sensação de ter sido morto à estalada. Ou então... o bichinho habita em locais muiiiito estreitos...
;)))