quinta-feira, 10 de março de 2011

Sonhos!

Todas as minhas raizes se afundam, no terreno imaginário dos sonhos.
Todos os meus desejos, todos os que tanto quis, e nunca fiz; se guardam e resguardam ainda, nos sonhos... naqueles sonhos que ainda não sonhei e que sonho, sonhar.
Todas as minhas certezes, são sonhos... sonhos passados, sonhados.
Todas as estrelas que compõem o firmamento, são sonhadas, nos meus sonhos. Elas não existem na verdade. Somente brilham, de noite, porque as sonho!

12 comentários:

Cristina Torrão disse...

Que texto bonito!

E, como não me ocorre nada de novo, sirvo-me de um verso de um poema muito conhecido, uma expressão que já está gasta, mas que não deixa de ser verdadeira: "o sonho comanda a vida". Porque comanda mesmo :)

Bartolomeu disse...

Olá Cristina!
Agradeço-te o elogio.
Num tempo em que a capacidade de sonhar começa a abandonar as nossas gentes, estas em cujas veias corre ainda um pouco do valoroso sangue lusitano, é urgente reabilitar o sonho.
Foi o sonho que fez nascer a vontade, aquela que nos levou mundo fora e premitiu que conhecessemos novos mundos, novas gentes, novos saberes.
Esta riqueza inter-cultural não se pode perder porque se perdeu a vontade de sonhar, então... é urgente que se readquira o sonho.
Pessoa disse "Deus quer, o Homem sonha, a obra nasce". Se invertermos a sequência, e não sei se seria esse o sentido primeiro da frase que o poeta construiu, teríamos;«O Homem sonha, Deus quer, a Obra nasce.
Em qualquer das circunstâncias estaremos sempre perante três vértices de um triângulo equilátero.
;)
A trilogia sempre presente nos grandes acontecimentos da nossa história!

Papoila disse...

Já tinha saudades de sonhar contigo.
Um beijo Bartô

Bartolomeu disse...

Olá Papoilinha!
Obrigado pela visita!
;))

anaturezap disse...

Bartolomeu,
Sonhar demais… distrai:)

Bartolomeu disse...

Ana;
Porém, certas distracções, dão à crua realidade da vida, o fantástico sabor de sonhos.
Assim como os pasteis de belém, ou deliciosos vinhos brancos, com lagostas dentro.

Rosa dos Ventos disse...

E lá repito eu:
" O Sonho comanda a vida! "
O pior é que também há pesadelos mas esses não são para aqui chamados!

Abraço, Bartô

anaturezap disse...

Gelado. O vinho branco ;)))

Bartolomeu disse...

É preciso que sim, Rosinha, que não deixe nunca de a comandar.
Uma vida sem sonhos, deverá ser uma vida de tédio, vazia.
;)

Bartolomeu disse...

Se for a acompanhar a lagosta, convem que seja gelado.
Mas, se fôr a acompanhar uma boa conversa, pode ser sêco e natural, Ana.
;)

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Passarolamigo

Excelente pedaço de prosa. E sentido. Temos de viver com um sonho e temos andado a vegetar com sono.

Se entramos pelo vinho branco, fresquinho, pela lagosta,até mesmo pelos temoços, alinho. Pelos pasteis de Belém, subscrevo.

Já quanto ao binquilino do Palácio, nada feito. Nem com molho de tomate; o mesmo, garanto, quanto ao inefável acessor político, ex-comunicativo, ex-escuteireiro, mas um criado às ordens de Sua Insolência.

E quando éke sonhas voltar a passar lá pela Travessa?

Abç

Bartolomeu disse...

Olá Henrique!
Agradeço a visita e o apreço pelo sonho.
O branquinho e os tremocinhos, estão sempre a jeito, basta combinarmos.
Quanto ao binquilino... não temos alternativa, vão ser mais 5 aninhos.